Fusca teve sua historia, veja que como foi.

Fusca, como começou a ser fabricado as primeiras unidades veja a história desse carro.

fusca

A historia do Fusca

Para muitos trata-se de um carro arcaico, para outros um carro eterno, feito pra durar, o Fusca, um carro feit à pedido de Hitler a Ferdinand Porsche, o chamado velho “beetle” foi nomeado Volkswagen, que como já sabemos, vem do idioma alemão e seu significado literal é “Carro do Povo“. Anos depois o fusca foi nomeado “Volkswagen Sedan“, e a partir de um apelido nascido no Brasil, acabou sendo chamado oficialmente, pelo menos aqui no Brasil, carinhosamente de Fusca. No post de hoje vamos saber como começaram as primeiras unidade

 

A história do fuscaSão milhares de fuscamaníacos no Brasil e pensando nisso, vamos tentar relatar um pouco da história do carro mais queridinho do Brasil, o Fusca. Embora não tenha nascido em uma brilhante época, naquele momento o Fusca chegou a ser um dos candidatos ao carro do século. Isso foi no inicio da década de 30, quando Ferdinand Porsche desenvolveu um projeto na sua própria garagem, em Stuttgard, na Alemanha.

Um projeto audacioso

O primeiro projeto do Fusca trazia um carro equipado com um motor dois cilindros, refrigerado a ar e que tinha um rendimento muito baixo. Quando criaram o motor quatro cilindros, opostos dois a dois, chamado de Boxte, também se podia refrigerar a ar e com suspensão independente na dianteira, que funcionavam com barras de torção. Foi um projeto ousado e revolucionário, porque até então os carros da época eram feitos com motores refrigerados a água e com suspensão que usava feixe de molas, tipo suspensão de caminhões, ou molas helicoidais.

O Lançamento Oficial

Lançado oficialmente em 1935, pelo projetista Ferdinand Porsche, o Volkswagen podia ser comprado por preço acessível, no valor de 990 marcos, e estava equipado com motor refrigerado a ar, sistema elétrico de seis volts, câmbio seco de quatro marchas, coisa que até então só se fabricavam para carros com caixa de câmbio inferior a 3 marchas. Sistema de freios a tambor, caixa de direção do tipo “rosca sem fim”, evoluções estéticas com quebra vento, lado abertura da porta, no início a porta abria do lado oposto, saída única de escapamento e estribo, entre outras novidades.

As reformulações e a fabricação em série

Em 1936,  já havia sido reformulado, com muitas semelhanças com o Fusca de hoje em dia, o carro estava equipado com duas pequenas janelas traseiras, e em 1937 existiam 30 outros modelos sendo testados na Alemanha. A partir de 1938, iniciou-se a construção de uma fábrica exclusiva para a produção que seria construído na forma de fabricação em série.

 

fusca antigoJá em 1939 devido ao início da segunda guerra mundial, o Fusca acabou virando veículo militar e outros derivados do fusca, como jipes e até um modelo anfíbio, Shwinwagen, atualmente existem apenas 3 no mundo, e um no Brasil. A mudanças também aconteceram na mecânica, virabrequim, pistões, válvulas , o motor de 995 cc.e 19cv passou a ser de 1.131 cc. e 26 cv. Naquele momento, mais de 70 mil unidades militares foram produzidas. Quando a segunda guerra mundial terminou, a fábrica da Volkswagen que estava sendo construída em Hanover, exclusivamente para a fabricação dos fuscas estava quase que inteiramente destruída.

Um projeto que deu certo

Ninguém sabia por onde andavam os primeiros projetistas deste carro, e de suas versões militares ninguém precisava mais, por pouco não foi o fim do modelo tão popular e querido. Até que um major inglês redescobriu o Fusca. Ivan Hirst resolveu readaptar o velho Fusca que ficou entre os escombros da antiga fábrica, depois da guerra e a versão original do VW passou a ser reaproveitada. Basicamente  até então era um projeto que havia dado certo, até meados de 1956. Mas Independente de seu projeto mecânico, a aparência do Fusca tinha que mudar.

Em 1951, o carro tinha duas janelas repartidas na parte traseira e continuava sem os “quebra-ventos”. Mas em 1953, o fusca ressurgiu com os “quebra-ventos” nas janelas laterais, e a partir da segunda série deste ano a janela traseira se resumia a uma única, em formato oval. Neste mesmo ano o fusca começou a ser montado no Brasil e o sucesso foi absoluto.

O Fusca fabricado no Brasil

fusca brancoNo segundo semestre de 1953, o Fusca começa a ser fabricado no Brasil o sistema de sinaleiros deixa de ser uma barra na coluna lateral central para as lanternas traseiras, juntamente com as luzes de freio. E assim as mudanças foram aparecendo pouco a pouco. O câmbio deixa de ser “seco” para ter as quatro marchas sincronizadas, o mesmo tipo de câmbio que existe até hoje. Em 1967 o Fusca passou por uma importante mudança, ele ganhou um  motor 1300 cilindradas no lugar do de 1.200 que o equipava até então.

Outras mudanças vieram a partir 1973, o novo sistema de carburação com carburadores re calibrados para consumir menos combustível e o novo distribuidor vácuo-centrífugo deram mais valor ao carro que sem dúvida era um sucesso total.

Recorde de vendas no Brasil

Em 1993, sem mais mudanças na carroceria nem no motor o Fusca ganhou pára-choques na mesma cor do veículo, canalizador com uma única saída de escape no pára-lamas esquerdo, estofamentos completamente novos, volante também novo e muitos outros detalhes de acabamento, inclusive detalhes opcionais. Quando ninguém mais acreditava no sucesso do relançamento do Fusca, as vendas foram um sucesso.

Nesse período a montadora brasileira chegou a produzir mais de 40 mil novos Fuscas. Até sua oficial parada de fabricação anunciada em Julho de 1996. Uma história de sucesso e muitas recordações!

veja outro artigo neste site sobre carro antigo.

 

gostou deste artigo ? compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *